continuação...

 

            O paradigma da igualdade

           

            O paradigma da oportunidade, é uma luta que vigora desde os séculos, várias foram as revoluções e movimentos que aclamaram por este ideal. Várias formas foram adotadas para assegurar esta igualdade, como o socialismo e o capstalismo, adotadas pelos liberais democráticos e democarticos-igualitaristas, respectivamente. A participação do Estado também foi outra forma encontrada para a manutenção da igualdade, sendo que este desempenha funções múltiplas, tais como: regula os monopólios e intervém, quando preciso; executa o planejamento macroeconômico em busca da economia planificada, coordena a divisão do trabalho e as políticas de renda e de pleno emprego, e também participa da esfera econômica com a produção de bens e serviços.

            Precisamos entender os papeis que o Estado desempenha, pois com a constituição desse modelo, que é o Estado de bem-estar social, o povo por meio da democracia de representação promove a garantia de liberdade e igualdade de oportunidades no momento em que elegem o seu representante que será responsável pelo desenvolvimento do Estado de bem-estar social.

            A igualdade,começou com a modernização econômica requerer também uma igualdade de acesso, que tem sido perseguida pelo ensino em suas diversas modalidades.

            No período de 1930-1964, o Estado brasileiro começou a se desenvolver em seus mais variados seguimentos, industrialização, programas de educação, saúde publica, agricultura,etc..

            O paradigma da liberdade econômica para reordenar a ação do Estado, limitando sua ação.   Não é possível aumentar o nível de acesso a escolaridade se não há meios de manter essas pessoas nas escolas. Há então uma necessidade de criar uma cultura tecnológica para expansão do capital.

            Não a como existir apenas um ingressar num estabelecimento de ensino se este não estiver preparado para formar profissionais que possam se sustentar no mercado de trabalho.

            Os defensores do neoliberalismo de mercado, no campo da educação, julgam que após a Segunda Guerra Mundial contribui para o crescimento educacional, mas pouco colaborou para o crescimento econômico.

 

            Neoliberalismo e educação: reformas e políticas educacionais de ajuste

 

           Nesse segmento encontramos os liberistas, ou seja os liberais que defendem a liberade de mercado e acreditam que sem ela as demais liberdades não podem ser sustentadas. O mercado deve ser o principio regulador da nova ordem econômica e política mundial.

           Acreditam na mão invisível que rege o mercado, e defendem a mínima intervenção do Estado nas atividades sociais.

           Fazendo um paraleo com o ensino, acreditam que o Estado não é capaz de sozinho, manter e formar cidadãos capazes de ingressar no mercado de trabalho. O Estado na perspectiva neoliberal de mercado, vem desobrigando-se, paulativamanete da educação pública. O trabalhador exigido hoje pelo mercado não é o mesmo exigido a alguns anos atrás, cabe ao sistema educacional educar os indivíduos para serem essa força de trabalho que o mercado hoje exige, o que na maioria das vezes não acontece.

            Hoje, cada vez mais se  exige uma reestruturação educativa, capaz de responder a essa necessidade do mercado de mão de obra qualificada.

As transformações técnico-científicas, econômicas e políticas

As mudanças econômicas, sociais, políticas, culturais e educacionais, decorrem, sobretudo, da aceleração das transformações técnico-científicas.A ciênica e a técnica estão assumindo o papel de força produtiva em lugar dos trabalhadores, já que diminuiu a força do trabalho humano.

Devido a essa revolução da técnica e da ciência há ampla modificação na produção, serviços e nas relações sociais.

Tal revolução está assentada em uma tríade revolucionária: a microeletrônica, a microbiologia e a energia termonuclear, que é responsável pelos avanços da conquista espacial.

A revolução da microbiologia é responsável por grandes avanços e perigos para a vida humana e do planete. De um lado o conhecimento genéticos dos seres vivos e do outro, há o risco de produção artificial de seres humanos.A revolução da microeletrônica, estamos rodeados de suas manifestações no cotidiano. A principal característica é o computador, que é a marca desta revolução.

Além da tríade revolucionária, é preciso destacar as mudanças e as implicações da revolução informacional emergente. Tem por base um espantoso e contínuo avanço das telecomunicações da mídia e das novas tecnologias da informação. Tais avanços tornam o mundo pequeno e interconectado por vários meios, que vivemos em uma aldeia global.

Com maior ou menor acesso, as novas tecnologias da informação e os diferentes meios de comunicação, estão presentes nos espaços sociais ou incorporados ao cotidiano de vida das pessoas, de maneira que midificam hábitos, costumes e necessidades.

 

Bem, as aulas começaram e de uma aula veio a ilustre idéia de um professor -Renato- para criarmos um blog, onde o mesmo corrigirá nossas dissertações sobre vários assuntos. Sim, caro colega e leitor, meu professor me avaliará por meio desta ferramenta tão utilizada hoje em dia, a internet. Pois então, criei meu blog, que não apenas dissertarei sobre temas da aula de "Políticas Educacionais" como sobre temas atuais, pessoais (quem sabe) e momentâneos... Comentem e sejam bem-vindos!!
[ ver mensagens anteriores ]



Meu Perfil
BRASIL, Mulher, de 20 a 25 anos

 
Visitante número: